o liverpool e a ciência de dados no Futebol

soccer ball on the white line at stadium

O Liverpool é o atual campeão europeu e mundial de futebol. O clube está prestes a terminar uma trégua de 30 anos sem vencer a Liga Inglesa – essa pode ser a melhor batalha da história da liga. Menos de uma década atrás, a equipe tradicional forneceu suporte mesmo no Reino Unido. Hoje, é essa equipe que apresenta o melhor futebol orientado para resultados do mundo.

O segredo da ascensão do Exército Vermelho está em seu departamento de análise de dados. Atualmente, todas as decisões do clube – no local ou nos bastidores – devem ser pesquisadas, lideradas pelo diretor de pesquisa do clube, Ian Graham. Por exemplo, foi ele quem autorizou a chegada do técnico Jurgen Klopp, que foi considerado por unanimidade um dos melhores treinadores do mundo, mas que estava em baixa em 2015, quando foi contratado junto ao Borussia Dortmund, da Alemanha.

O Liverpool foi fundado em 1892 e está envolvido no mercado muito tradicional do futebol. Em um dos períodos mais difíceis de sua história, conseguiu se transformar através da tecnologia e se tornou uma referência global. A restauração do clube é um exemplo para todas as empresas tradicionais que buscam restaurar sua relevância no mercado.

Dados no esporte

Alguns esportes coletivos, especialmente esportes coletivos americanos, têm uma tradição maior de usar dados para a tomada de decisões do que o rugby. Um exemplo bem conhecido é o beisebol, mesmo descrito no filme “Moneyball – o divisor de águas”. O filme descreve a verdadeira história de Billy Beane, gerente geral da equipe de Atletismo de Oakland e, em 2001, ele apostou nas estatísticas fornecidas pelo estudante de economia da Universidade de Yale, Peter Brand, para contratar jogadores.

O orçamento da equipe de Oakland é uma das equipes mais estreitas da liga de beisebol e ainda é elegível para jogar nos playoffs. A equipe geralmente é formada por jogadores baratos, que são considerados razoáveis ​​pela mídia e olheiros, mas têm as estatísticas necessárias para vencer o jogo. Desde aquela temporada, todos os times americanos de beisebol tomam decisões com base em dados.

No entanto, o futebol é especial, por isso é difícil analisar os dados. Primeiro, o jogo em si é mais fluido que o beisebol, sem ciclos repetidos (como jogar a bola no batedor). Além disso, a Liga Inglesa de Futebol teve em média menos de 3 gols por jogo, enquanto o basquete e outros esportes alcançaram 200 pontos no mesmo jogo.

Nesse sentido, a amostra alvo é muito menor e a aleatoriedade é muito maior. Existem inúmeras equipes que têm o dobro da taxa de posse e pontuações em campo dos oponentes – estatísticas sobre o jogo – mas deixam o campo por falha. Portanto, a resistência ao uso de dados no esporte é muito maior e, por muitos anos, objetivos e assistências têm sido as únicas estatísticas sobre atletas.

No entanto, com o desenvolvimento da ciência e tecnologia de dados, é possível coletar mais informações sobre o jogo e verificar automaticamente os dados. Os analistas de desempenho do futebol começam a estudar o jogo e determinar as condições com maior probabilidade de atingir seus objetivos. Por exemplo, hoje, os números podem ser usados ​​para medir a capacidade dos médios de levar a bola a um espaço mais vazio no campo. Ou, a porcentagem de vezes que o atleta conseguiu aplicar pressão ao adversário para perder o controle da bola.

A transformação do Liverpool

De fato, todos os clubes do mundo têm departamentos de análise de desempenho e aplicam a pesquisa de dados aos seus modelos de jogo. No entanto, o Liverpool é uma referência a modelos de dados complexos que afetam quase todos os departamentos da equipe inglesa.

Ian Graham possui doutorado em física teórica. Segundo o site do Liverpool, o diretor de pesquisa “acredita na avaliação dos atletas e nas amplas tendências do esporte e analisa números complexos sob a superfície”. Nesse sentido, Graham apresentou o conceito de “vantagem em campo”, que agrega algumas estatísticas coletadas durante o monitoramento do jogo.

De acordo com esse conceito, é possível definir quais áreas do campo de futebol se baseiam na posição atual do time, e os jogadores do Liverpool têm maior chance de alcançar seus oponentes. Nessas áreas, os jogadores da equipe devem tentar passar a bola para os outros para evitar perdê-la. Se o jogador cometer um erro, o mapa do campo digital diminuirá – e a probabilidade de pontuação nos próximos 15 segundos será reduzida. Com essas informações, o técnico Jurgen Klopp pode corrigir erros de posicionamento durante o treinamento.

Fora do estádio, o departamento liderado por Graham é responsável por avaliar jogadores e funcionários de todo o mundo em busca de possíveis contratos de assinatura de clubes. O meio-campista da Guiné Nabi Keita é um exemplo. Nos últimos cinco anos, Graham analisou os dados do jogador que atuou nos clubes Red Bull na Áustria e na Alemanha.

Segundo um relatório do New York Times, o cientista não processou dados separados, mas criou um modelo complexo que agrega várias estatísticas. Graham pode avaliar a chance de o time marcar após uma determinada ação. Keita se destaca na análise do Liverpool, porque, apesar da alta taxa de rotatividade de passes, quando ele está encarregado de “criar” o jogo, sua equipe tem uma chance maior de marcar. Isso mostra que o jogador corre riscos à custa de passar sem objetividade.

Escoteiros viram médios versáteis ao olhar para Keita. O jornal americano explicou que Graham viu um fenômeno em seu laptop. “Keita tem trabalhado duro para mover a bola para uma posição mais favorável, mesmo uma audiência cuidadosa pode não perceber.” O atleta africano foi contratado como membro da equipe em 2018.

Análise de dados

O Liverpool venceu a Liga dos Campeões da UEFA que terminou no ano passado, venceu a Copa do Mundo de Clubes em dezembro e atualmente foi campeão da Liga Inglesa. O consenso dentro do clube é que o departamento de pesquisa liderado por Ian Graham desempenha um papel fundamental na recuperação do clube. O clube foi restaurado por 13 anos e nenhum troféu relacionado ao seu tamanho foi levantado.

A transformação de uma instituição de 127 anos fornece inspiração para todas as empresas que perderam contato no mercado em que operam. Um campo bem estruturado da ciência de dados é essencial para apoiar todas as decisões tomadas por outros departamentos da organização.

O StartSe oferece cursos para empresas e empreendedores que desejam impulsionar seus negócios para a nova economia. A transformação digital dos executivos está totalmente imersa no conceito de aprender a aplicar a transformação digital na empresa. Os cursos on-line de inteligência artificial de negócios se concentram na transformação de dados em informações relevantes e estão transformando soluções técnicas em todas as áreas.

Publicado por

Átila Gonçalves

Aquele Baiano arretado. Estudante de Sistemas de Informação, Graduado em Redes de Computadores. Atualmente me qualificando para ingressar no ramo da Ciência de Dados, Segurança da Informação e Desenvolvedor Full Stack. Gosto de filmes e séries e sou apaixonado por futebol.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.